sexta-feira, 5 de setembro de 2014

ELEIÇÕES 2014 - Apoiamento à Candidatos - Relação Atualizada



Este Blog, dentro de princípios pautados na ética, moral e bons costumes, nacionalismo e brasilidade vem de público firmar sua simpatia e incondicional apoio ao seguintes candidatos ao pleito de 05 de outubro de 2014, independentemente de partidos políticos:


CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

AÉCIO NEVES - 45 - PSDB


AÉCIO NEVES é candidato ao cargo de Presidente da República pelo PSDB.

Natural da capital mineira de Belo Horizonte, Aécio Neves da cunha nasceu em 1960 e é formado em Economia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Aécio Neves é neto de Tancredo Neves e iniciou sua vida política aos 21 anos quando foi convidado pelo avô para ser seu secretário pessoal, depois de ter participado na campanha que o elegeu governador de Minas Gerais.

Em 1986 foi eleito para seu primeiro cargo eletivo como deputado federal, onde foi reeleito por mais três mandatos. Alcançou o Governo mineiro em 2002 com 60% dos votos válidos e finalizou seu primeiro mandato com 68% de aprovação popular de acordo com pesquisa do Instituto Datafolha. Foi reeleito em 2006 com 77% dos votos válidos e atingiu o índice de aprovação popular de 90% segundo pesquisa da Vox Populi/Fiemg.

Cargos Exercidos

Em 1986 foi eleito Deputado Federal por Minas Gerais e reeleito em 1990, 1994 e 1998.
Foi eleito Governador de Minas Gerais em 2002 e reeleito em 2006.
Em 2010 foi eleito Senador por Minas Gerais.

Coligação: MUDA BRASIL (PSDB / PMN / SD / DEM / PEN / PTN / PTB / PTC / PT do B)

PASTOR EVERALDO - 20 - PSC


EVERALDO PEREIRA é candidato ao cargo de Presidente da República pelo PSC (Partido Social Cristão).

Vice-presidente nacional do PSC, Everaldo Dias Pereira nasceu em 1956, é formado em Ciências Atuariais pela Faculdade de Economia e Finanças do Estado do Rio de Janeiro.

Filiou-se ao PSC em 2003 influenciado por Anthony Garotinho e chegou a coordenar um dos seu programas de governo. Além de ser pastor da Assembleia de Deus, é um dos líderes da bancada evangélica do PSC e tem o apoio do Deputado Dederal Marco Feliciano.

Coligação: PSC


CANDIDATOS DO RIO DE JANEIRO


DEPUTADO FEDERAL


JAIR BOLSONARO - 1120 - PP

JAIR BOLSONARO é candidato à reeleição ao cargo de Deputado Federal pelo PP.

Natural do município paulista de Campinas, Jair Messias Bolsonaro nasceu em 1955 e tem formação militar pela Academia Militar das Agulhas Negras, chegando ao cargo de capitão do Exército Brasileiro em 1979.
Seu primeiro cargo eletivo foi o de Vereador do Rio de Janeiro, alcançado em 1988, quando era filiado pelo extinto PDC (Partido Democrata Cristão). Dois anos depois foi eleito pela primeira vez ao cargo de Deputado Federal, onde cumpre atualmente o quarto mandato.

Cargos Exercidos

Em 1988 foi eleito Vereador do Rio de Janeiro (RJ) pelo PDC.
Foi eleito Deputado Federal do Rio de Janeiro em 1990 e reeleito em 1994 pelo PPR, em 1998 e em 2002 pelo PPB, em 2006 e 2010 pelo PP.
Coligação: PMDB - PP - PSC - PSD - PTB (PMDB / PP / PSC / PSD / PTB)


DEPUTADO ESTADUAL

FLÁVIO BOLSONARO - 11120 - PP

FLÁVIO BOLSONARO é candidato a Deputado Estadual do Rio de Janeiro pelo Partido Progressista.

Dados de Flávio Bolsonaro

Nome: Flavio Nantes Bolsonaro
Idade: 33 anos (30/04/1981)
Naturalidade: RJ - Rio de Janeiro
Estado Civil: Casado(a)
Ocupação: Deputado
Escolaridade: Superior completo
Coligação: PP


COMANDANTE SERGIO - 31000 - PHS

Comandante Sérgio

COMANDANTE SÉRGIO é candidato a Deputado Estadual do Rio de Janeiro pelo Partido Humanista da Solidariedade.

Dados de Comandante Sérgio

Nome: Sergio Ricardo Ferreira
Idade: 58 anos (10/12/1955)
Naturalidade: RJ - Rio de Janeiro
Estado Civil: Casado(a)
Ocupação: Militar Reformado
Escolaridade: Superior completo
Coligação: PHS



CANDIDATOS DE MINAS GERAIS


DEPUTADO FEDERAL


GEN MARCO FELÍCIO - 2560 - DEM

MARCO FELÍCIO é candidato a Deputado Federal por Minas Gerais pelo Democratas.

Dados de Marco Felício

Nome: Marco Antônio Felício da Silva
Idade: 76 anos (24/10/1937)
Naturalidade: MG - Belo Horizonte
Estado Civil: Casado(a)
Ocupação: Militar Reformado
Escolaridade: Superior completo
Coligação: A VEZ DE MINAS (DEM / PSDB / PP / PR / PSD / SD)


COMANDANTE FRANÇA - 3663 - PTC

COMANDANTE FRANÇA é candidato a Deputado Federal por Minas Gerais pelo Partido Trabalhista Cristão.

Dados de Comandante França

Nome: José Roberto Correia França
Idade: 56 anos (16/05/1958)
Naturalidade: RJ - Rio de Janeiro
Estado Civil: Solteiro(a)
Ocupação: Piloto de Aviação Comercial, Navegador, Mecânico de Vôo e Assemelhados
Escolaridade: Superior completo
Coligação: MINAS MELHOR (PSC / PTC / PSL)



DEPUTADO ESTADUAL

CORONEL PICCININI - 40190 - PSB

CORONEL PICCININI é candidato a Deputado Estadual de Minas Gerais pelo Partido Socialista Brasileiro.

Dados de Coronel Piccinini
Nome: Edvaldo Piccinini Teixeira
Idade: 69 anos (13/08/1945)
Naturalidade: MG - Juiz de Fora
Estado Civil: Casado(a)
Ocupação: Vereador
Escolaridade: Superior completo
Coligação: MINAS QUER MUDANÇA (PSB / PPL / PRTB)



CANDIDATOS DE SÃO PAULO


DEPUTADO FEDERAL


EDUARDO BOLSONARO - 2070 - PSC

EDUARDO BOLSONARO é candidato a Deputado Federal por São Paulo pelo Partido Social Cristão.

Dados de Eduardo Bolsonaro

Nome: Eduardo Nantes Bolsonaro
Idade: 30 anos (10/07/1984)
Naturalidade: RJ - Rio de Janeiro
Estado Civil: Solteiro(a)
Ocupação: Servidor Público Federal
Escolaridade: Superior completo

Coligação: PSC



GENERAL PETERNELLI - 2022 - PSC

General Peternelli

GENERAL PETERNELLI é candidato a Deputado Federal por São Paulo pelo Partido Social Cristão.

Dados de General Peternelli

Nome: Roberto Sebastião Peternelli Junior
Idade: 60 anos (06/08/1954)
Naturalidade: SP - Riberão Preto
Estado Civil: Casado(a)
Ocupação: Militar Reformado
Escolaridade: Superior completo
Coligação: PSC



CANDIDATOS DO PARANÁ


SENADOR


ÁLVARO DIAS - 456 - PSDB

ALVARO DIAS é candidato à reeleição ao cargo de Senador do Paraná pelo PSDB.

Natural do município de Quatá, em São Paulo, Alvaro Fernandes Dias nasceu em 1944 e é formado em História pela Universidade Estadual de Londrina. Seu primeiro cargo eletivo foi o de Vereador de Londrina alcançado em 1968, quando ainda era filiado ao extinto MDB (Movimento Democrático Brasileiro).
Em 1970 conseguiu uma vaga na Assembleia Legislativa e quatro anos depois foi eleito Deputado Federal e reeleito logo em seguida. Após o término do seu segundo mandato, alcançou uma vaga ao Senado, desta vez como militante do PMDB. Na Eleição seguinte foi eleito Governador do Paraná e três anos depois deixa o PMDB e filia-se ao extinto PST (Partido Social Trabalhista), onde permanece por cinco anos.
Em 1994 disputa novamente por uma vaga ao Governo, filiado ao PP, mas desta vez não termina vitorioso. Quatro anos depois consegue voltar ao Senado, pelo PSDB, que o trocou em 2002 pelo PDT, quando entrou como candidato ao cargo de Governador do Paraná novamente, mas não alcançou a vitória. Em 2003 volta ao PSDB e três anos depois consegue ser eleito para mais um mandato como Senador.

Cargos Exercidos

Foi eleito Vereador de Londrina (PR) em 1968 pelo MDB.
Em 1970 foi eleito Deputado Estadual do Paraná.
Foi eleito Deputado Federal do Paraná em 1974 e reeleito em 1978.
Em 1982 foi eleito Senador do Paraná pelo PMDB, reeleito em 1998 e em 2006 pelo PSDB.
Foi eleito Governador do Paraná em 1986.


DEPUTADO FEDERAL


PAULO MARTINS - 2020 - PSC

PAULO MARTINS é candidato a Deputado Federal pelo Paraná pelo Partido Social Cristão.
Dados de Paulo Martins

Nome: Paulo Eduardo Lima Martins
Idade: 33 anos (20/04/1981)
Naturalidade: PR - Curitiba
Estado Civil: Casado(a)
Ocupação: Empresário
Escolaridade: Superior completo

Coligação: União Pelo Paraná (PSDB / DEM / PR / PSC / PT do B / PP / SD / PSD / PPS)



CANDIDATOS DE MATO GROSSO


DEPUTADO ESTADUAL


ADRIANA VANDONI - 12012 - PDT

ADRIANA VANDONI é candidata a Deputada Estadual de Mato Grosso pelo Partido Democrático Trabalhista.

Dados de Adriana Vandoni

Nome: Adriana Lucia Vandoni Curvo
Idade: 47 anos (07/03/1967)
Naturalidade: MT - Cuiabá
Estado Civil: Casado(a)
Ocupação: Jornalista e Redator
Escolaridade: Superior completo
Coligação: CORAGEM E ATITUDE PRA MUDAR (PDT / DEM / PSDB)




METAMORFOSE AMBULANTE:
"Marina Silva eu sou um caô. Nem meu eleitor consegue saber quem eu sou."


Jornalistas são obrigados a usar crachás de Dilma 13 para cobrir atividades oficiais da presidente Dilma na Expointer


Jornalistas que cobriram a cerimônia de abertura da Expointer em Esteio, RS, esta manhã, foram surpreendidos pela exigência de portarem no peito crachás de propaganda da candidata do PT.

. A foto ao lado é de uma repórter da Rádio Guaíba, Rede Record.

. A jornalista foi fotografada pelo editor durante a coletiva concedida pelo senador Aécio Neves na Casa da Assembléia, 13h10min.

. Logo abaixo, outra foto parecida, esta de Zero Hora, que registrou o ilícito no seu Twitter.

. Como ela, outros jornalistas também portavam crachás da campanha de Dilma, mesmo os que não são do PT, o que provocou muita indignação em Esteio.
 
. É um caso típico de crime eleitoral.

. Todos alegaram que precisaram usar os crachás para cobrir as atividades de Dilma, que fez visita oficial á Expointer, um local pertencente ao governo estadual. A presidente abriu oficialmente a feira.

. O caso causou constrangimento ao pessoal da coordenação da campanha de Aécio, que não fez comentários.

. Dilma Roussef chegou a passar na frente da Casa da Assembléia poucos minutos antes da chegada do seu adversário.

EM SALVADOR, LULA CAIU DO PALANQUE DE TANTO MENTIR

O ex-presidente Lula se desequilibra e cai durante  comício do PT em Salvador (Foto: Margarida Neide/Agência A Tarde)
O ex-presidento Lula se desequilibra e cai durante comício do PT em Salvador. tropeçando nas próprias mentiras, 
para vergonha dos brasileiros de bem (Foto: Margarida Neide/Agência A Tarde)
Se mentira tem perna curta, foi ela quem encurtou subitamente uma das pernas de Lula, fazendo-o desabar grotescamente no palanque em que proferia baboseiras e ameaças em Salvador, em comício de apoio aos candidatos do lulopetismo na Bahia — que, por falar em pernas, andam pessimamente delas, devendo perder o governo do Estado e a vaga no Senado para a aliança DEM-PMDB-PSDB.

Antes de voltar à guerra do “eu” contra “eles”, e bazofiando que se Dilma vencer as eleições ele próprio voltará em 2018, Lula começou mentindo de leve. Só disse que a “gerentona” alcançou dois milagres: “manter os emprego e estabilizar a inflação”.

É verdade que os empregos vêm sendo mantidos, mas que a criação mensal deles desabou assustadoramente: de um patamar de 200 a 300 mil vagas com carteira assinada por mês, o país caiu para apenas míseras 25.363 vagas em junho — o pior junho em DEZESSEIS ANOS — e mais preocupantes ainda 11.796 vagas em julho.

Como a economia está paralisada, e o ano que vem será duríssimo, provavelmente com crescimento próximo a zero, a tendência é que a criação de vagas se torne negativa — ou seja, que comece a haver demissões em número cada vez mais elevado.

Mas, tudo bem, vamos tomar ao pé da letra que empregos, embora de baixa qualidade e mal remunerados, estão sendo mantidos.

Agora, “estabilizar a inflação”? Em que mundo, em que país vive Lula? Há quando tempo que esse “líder de massas” que só anda em jatinhos fretados para fazer palestras e só se hospeda, em tais ocasiões, em suítes presidenciais de hotéis, não vai a uma feira, a um supermercado, a uma farmácia???

A inflação mantém-se firmemente, ao longo da maior parte do governo Dilma, próxima ao TETO da meta, ou seja, ao máximo admitido pelo Banco Central, de 6,5%, quando não o supera — mesmo com as acrobacias para varrê-la para baixo do tapete, e que vão explodir lá adiante, como o congelamento artificial dos preços dos derivados de petróleo e da energia elétrica, que está, respectivamente, quebrando a Petrobras e criando um rombo de dezenas de bilhões de reais nas geradoras e distribuidoras de energia.

A mentira maior e mais deslavada, contudo, viria depois.

Vejam só: “Ninguém está crescendo mais que o Brasil, a não ser quatro países e que pertencem ao G-20″”, disse o ex-presidento.

Não é imaginável que Lula comemore o grotesco crescimento estimado para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano — 0,52%!!!! (Confiram aqui os dados.)

O pior, porém, obviamente é mentir. SÓ QUATRO PAÍSES DO G-20 CRESCEM MAIS DO QUE O BRASIL?

MENTIRA! O Chile, aqui pertinho, que não pertence ao G-20, cresceu 2,2% só no primeiro semestre! Querem conferir, vejam aqui.

MENTIRA! No Peru, nosso vizinho a oeste, igualmente fora do G-20, a previsão de crescimento para este ano é de 4,4% — mais que oito vezes o país gerido pela “gerentona”. Para o ano que vem, que se prevê negro para o Brasil, com possível crescimento ZERO, a taxa prevista para o Peru é de 6%! Querem conferir? Vejam aqui.

MENTIRA! A Colômbia, nosso vizinho ao norte, com guerra civil e tudo, foi o segundo país que mais cresceu NO MUNDO no primeiro trimestre, em comparação ao mesmo período de 2013 — 6,4% –, ficando apenas atrás da China, e a previsão de crescimento para o ano feita pelo governo, que é considerada conservadora por diferentes círculos, é de 4,7%. Querem conferir? Vejam aqui.

MENTIRA! MENTIRA! Crescem mais do que o Brasil dezenas de países, da Tailândia ao Panamá, do Equador ao Egito. Na América Latina, só estamos à frente da catastrófica Venezuela e da Argentina do kirchnerismo desvairado.

É inacreditável — e, para os brasileiros de bem de qualquer tendência partidária, humilhante, vergonhoso — ver um chefe de Estado proferir mentiras aos quatro ventos para eleger sua candidata.

Explica-se o desabamento de Lula no palanque porque ele se aproximou das pessoas ao redor para cumprimentá-las.

Não: Lula acabou tropeçando mesmo foi na mentiralhada, sua grande arma eleitoral.

Depois de um acordo de delação premiada, começou a ser ouvido pela Polícia Federal o ex-diretor da Petrobras que avisou: se contasse tudo o que sabe, não haveria eleição


O irônico crime ambiental de Marina

Por Humberto de Luna Freire Filho


Após a última  pesquisa eleitoral, a candidata a presidente pelo PSB, Marina Silva, continua com  chances reais de disputar um segundo turno com a  atual "presidenta".

Eu não gostaria de vê-la governando o Brasil; decididamente não terá meu voto. Mas, hoje à noite, tive uma grata surpresa, minhas esperanças foram renovadas, ao ler na Internet que ela  poderá se tornar inelegível por crime ambiental.

Segundo o IBAMA ela abateu um tucano e liquidou uma anta.


Fonte: Alerta Total


_________________________
Humberto de Luna Freire Filho é Médico e criador de cabras.

Dilma levou forte vaia na abertura da Expointer

 
Dilma Rousseff foi recebida sob forte vaia por um grupo de grevistas do Judiciário Federal na manhã desta sexta-feira em Esteio, RS, onde abriu oficialmente a Expointer, maior feira do agro do Brasil.

. A presidente livra forte vantagem sobre Aécio e Marina no Estado.

.  Os manifestantes reivindicam reajuste salarial e creditam a Dilma a responsabilidade pelo congelamento de suas remunerações.   Os protestos logo foram abafados por militantes pró-Dilma, que a aplaudiram.

Plebiscito Constituinte: mais uma tentativa de golpe

Por Flavio Quintela

O movimento está colhendo apoio nas ruas e é encabeçado por organizações de esquerda e extrema-esquerda, entre as quais o PT, o PCdoB, a CUT e dezenas de sindicatos.

Começou na segunda-feira uma ação coordenada em todo o Brasil por um movimento que se intitula Plebiscito Constituinte. Com uma roupagem patriótica, uma comunicação feita nas cores da bandeira brasileira e um apelo à juventude que foi às ruas em junho de 2013, esse movimento tenta viabilizar algo que há muito vem sendo considerado pelo atual governo e por todo o PT como uma peça-chave para a supressão do Estado Democrático de Direito: uma Constituinte para modificar o sistema político brasileiro. Essa aberração foi sugerida pela primeira vez pela própria presidente Dilma Rousseff em seu pronunciamento de 24 de junho de 2013.

A ideia vai ao encontro das práticas bolivarianas usadas com sucesso para destruir as democracias vizinhas, como a da Venezuela. A substituição da democracia representativa pela chamada “democracia direta” tem sido a forma mais eficiente de corroer o jogo democrático usando suas próprias regras. Ao contrário do que diz o dito popular, a voz do povo não é a voz de Deus, e nunca foi. Legislar por meio de plebiscitos é algo inviável, principalmente em um país com as dimensões do Brasil. A massa popular é muito mais manipulável que algumas centenas de parlamentares, e a legitimidade de uma consulta popular só é, na aparência, maior que a de uma decisão votada no Legislativo. Ou seja, para a maioria da população, participar de um plebiscito soa como a coisa mais democrática possível, uma vez que essa mesma maioria não consegue enxergar que sua opinião está sendo moldada e manipulada pelo grupo que ocupa o poder – e, com ele, a maior máquina de propaganda já vista na história brasileira.

Mas voltemos ao tal movimento, que está neste momento colhendo apoio nas ruas. É encabeçado por organizações de esquerda e extrema-esquerda, entre as quais o PT, o PCdoB, a CUT e dezenas de sindicatos. O objetivo final do movimento é forçar a convocação de uma Constituinte exclusiva para modificar os artigos constitucionais que regem o sistema político brasileiro. Hoje, a única maneira de se fazer isso é através de uma emenda constitucional, que por sua vez requer maioria absoluta nas votações das duas casas do Legislativo. Numa Constituinte, só é preciso conseguir maioria simples. Esse fato, mais o clima de pressão popular que tal Constituinte geraria no país, permitiria que o grupo capitaneado pelo PT aprovasse medidas como o financiamento público de campanha e o voto em lista fechada, além de possíveis aberrações como o fim da limitação de dois mandatos consecutivos, a inclusão na Constituição de mecanismos de participação popular, nos moldes do Decreto 8.243, e outras monstruosidades antidemocráticas.

A experiência nos diz que é sempre prudente desconfiar de quem quer mudar as regras do jogo. Depois de 12 anos, pela primeira vez a chance de o candidato petista perder é maior que a de ganhar. A população está deixando claro, diariamente, nas ruas, nas redes sociais, nas pesquisas, que não quer mais esse partido tomando conta do país. E é justamente diante dessa revolta, dessa insatisfação, que está sendo proposta uma solução de ruptura, algo projetado e planejado para ser a tábua de salvação de um grupo político que está afundando. Esse plebiscito tem cheiro de golpe. E de golpe estamos cheios.




_____________
Flavio Quintela, escritor e tradutor de obras sobre política e filosofia, é autor de Mentiram (e muito) para mim.

PT Tem Pouco O Que Comemorar Com Pesquisas Brasil


7 de Setembro, A PARADA QUE DESEJAMOS

Por Paulo Ricardo da Rocha Paiva

Ainda outro dia localizei na “internet” o filme da parada de 7 de setembro em 1952. Não fabricávamos nada ainda em termos de material bélico. Entretanto, no respeitante ao armamento do Exército, este ainda exibia porte do aparato herdado pela Divisão de Infantaria Expedicionária (DIE), veterana da campanha na Itália. Que se diga, para 62 anos passados, comparado à pletora de meios de uma divisão brasileira dos dias atuais, naquela época, aqueles eram muito mais consistentes. O fato é que a “FEB”, em 1944, tinha poder de combate compatível para enfrentar uma DI do exército alemão. E hoje, será que uma divisão do EB conseguiria fazer frente a uma simples brigada blindada dos grandes predadores militares que nos espreitam?


É de chamar atenção o porte/efetivo das unidades que compunham os grupamentos de desfile que, naquele tempo, mesmo sendo inferiores aos de uma França nas paradas do dia “14 de julho”, pelo menos davam impressão de massa de militares com lastro para participar de uma guerra mundial, como efetivamente participamos. Interessante, também, é que estávamos ainda naquela fase do “petróleo é nosso”, não éramos autossuficientes quanto a este recurso e nem se pensava no pré-sal, mas as unidades motorizadas e blindadas não deixavam de fazer bonito com suas viaturas rodando pela Avenida Presidente Vargas.

Involução? Poupar gasolina? Dizem que “a economia é a base da porcaria”. Todavia, seguramente, quem economiza no século XXI, pelo menos em termos de defesa, num país com tamanha dimensão territorial e privilegiado por invejáveis riquezas naturais, só pode mesmo é viver com medo, chafurdar na subserviência, conviver na mediocridade.

Parece que estou vendo os “senhores da guerra” dando cambalhotas de tanto rir desta pretensão ridícula, sem pé nem cabeça, de integrarmos a “santa aliança” dos todo-poderosos membros permanentes do “CS/ONU”, máxime quando seus embaixadores e adidos militares costumam assistir, do palanque das autoridades, àquela passeata de nível gendarmeria mal equipada. Que não se duvide, no desfile de “14 de julho” da França, nossas Forças Armadas constituiriam o bloco dos “batalhões de excluídos” com este armamento de 2ª!

Por favor, vamos ter um pouco mais de brio, aparentar um resquício que seja de orgulho. Que se faça desfilar em nossa data magna não apenas grupelhos, mas todo o efetivo dos batalhões de infantaria, dos regimentos blindados e mecanizados, das unidades dos apoios ao combate e logístico. Vamos colocar “tijolos” compactos nas ruas, coronéis comandam corpos de tropa e não amostras esmaecidas de subunidades encorpadas. Não há mais lugar para desculpas esfarrapadas do tipo escassez de combustível impeditiva para o transporte do efetivo e desfile dos meios motorizados. Com a palavra a PETROBRÁS, que bem poderia, a título de teste da mobilização de seus meios, abastecer as viaturas orgânicas das unidades/tipo, patrocinando a gasolina/diesel para viabilizar, que fosse, um único dia de parada, digno de uma 6ª potência econômica mundial.

Como se não bastasse, fala-se muito atualmente em reaparelhar nossas Fraquezas Desarmadas, comprando, para variar na mesma gangue de “soldados universais”, carros de combate, submarinos e aviões de caça. O espanto é que não se pensa na munição. E se estes atores belicosos, países sérios, ciosos de seus interesses/objetivos nacionais, resolverem fechar a torneira? De que vão adiantar os “LEOPARD”, os “ESCORPENE” e os “GRIPPEN” da vida? O País ainda não se deu conta: não podemos mais depender do “cartuchame” proveniente da “gangue dos cinco” para nos defender. Isto é o cúmulo da falta de tenência, incompetência crônica, amadorismo “terceiro-mundista”.

“Presidenta”, senadores, deputados, acordem, saiam desta letargia psicodélica. Primeiro temos que nos habilitar a fabricar o projétil pertinente a ser lançado por cada um desses meios. Que se saiba, a IMBEL ainda não se capacitou neste mister. Em assim sendo, “não vamos nem matar a cobra nem mesmo mostrar o pau. ” Simplesmente, não vai dar nem para sair. Alguém já alertou a “comandanta em chefa” neste sentido? Olho vivo pé ligeiro! Voadas bem mais baixas, no meu tempo de quartel, implicavam, no mínimo, em responder à “revista do recolher”, imagine um voo insólito deste, de nível estratégico!

A propósito, os batalhões de infantaria do pantanal e os de selva já dispõem dos mísseis portáteis que se diz ter a AVIBRÁS condições de fabricar? Pense bem senhor ministro da defesa: apenas uma simples demonstração destas iria inquietar aqueles agentes da CIA, travestidos de “ongueiros”, que estão a infestar as nossas grandes regiões centro-oeste e norte.
                                                                                                                 
Paulo Ricardo da Rocha Paiva
Coronel de Infantaria e Estado-Maior



Chegou a hora de discutir política e ideologia na atual campanha eleitoral


Situação De Geraldo Alckmin Segue Confortável


Linchamento de uma jovem pela Imprensa


Não é muito raro que cidadãos comuns, presenciando um assalto, reajam contra o assaltante agredindo-o fisicamente. Sabem que o meliante, levado à delegacia, tem grande possibilidade de sair livre, leve e solto pela mesma porta por onde entrou. E sai, muitas vezes, antes mesmo de que o policial preencha os documentos relativos à sua captura. Ainda recentemente, o secretário de segurança do Rio Grande do Sul relatou a uma emissora de rádio que certo PM, num único turno de trabalho, prendeu duas vezes o mesmo bandido. Então, as pessoas, vez por outra, tratam de fazer justiça com as próprias mãos.

Sempre que isso ocorre, a imprensa nacional reage com justa indignação. Essa não é uma atitude civilizada! E não é mesmo. Impõe-se que a Justiça siga seu curso. Ainda que ela falhe, ainda que seja excessivamente branda, ainda que "a polícia prenda e a justiça solte", ainda que o bandido seja um indivíduo socialmente intolerável e irrecuperável, ainda que seus crimes se repitam indefinidamente, o "justiçamento" não pode ser tolerado. São severas as palavras da mídia, sempre que algo assim acontece. E têm que ser.

Há poucos dias, na Arena do Grêmio, um grupo de torcedores dirigiu palavras injuriosas ao goleiro do Santos. Chamavam-no de "macaco" e imitavam sons e movimentos simiescos. Vulgaridade, grosseria, estupidez. Entre esses torcedores havia uma jovem cuja imagem foi flagrada por câmera enquanto pronunciava, com nitidez que não gera dúvidas à leitura labial, as três sílabas da palavra macaco. Nos dias que se seguiram, a imagem dela injuriando o goleiro ocupou parte do noticiário nacional, capas de jornais e ganhou manchetes, numa reiteração cotidiana. A moça mereceu painel fotográfico, perfil biográfico, entrevistas com familiares, identificação minuciosa.

Junto com diversos torcedores, identificados uns, outros não, ela cometeu delito criminalmente tipificado como injúria racial (onde a característica racial da injúria é agravante). Correrá um processo, no qual certamente será condenada a pena branda, porque o delito não comporta mais do que reclusão de um a três anos, o que, ante a primariedade da ré, provavelmente será substituída por pena alternativa.

A questão é a seguinte: a imprensa, que tão pronta e justamente reprova a agressão a bandidos nas ruas, não percebeu o linchamento moral imposto à jovem, com a superexposição a que a submeteu? Foi desmedido e absurdo esse comportamento. Não, não foi sábio, nem prudente, nem judicioso. Antes das devidas sanções judiciais, a moça foi imediatamente penalizada com a despedida de seu emprego. Sua casa foi apedrejada. Seus familiares injuriados. Recebe ameaça de morte e precisa buscar abrigo e segurança.

Perdeu-se a noção de limites, bem ali onde se abrigam tantos árbitros dos limites alheios.



_____________
Percival Puggina (69) é arquiteto, empresário, escritor, titular do site www.puggina.org, colunista de Zero Hora e de dezenas de jornais e sites no país, autor de Crônicas contra o totalitarismo; Cuba, a tragédia da utopia e Pombas e Gaviões, membro do grupo Pensar+.

Suspeitas no acidente e morte de Eduardo Campos

Por José Ori Dolvin Dantas

Usei os seguintes argumentos para justificar que o acidente foi um atentado.

1 - Um jato executivo bimotor de porte médio fabricado em 2010 com 300 horas de voo é um avião novo!

2 - A aeronave estava com as inspeções gerais e periódicas previstas no programa de manutenção em dia.

3 - Equipado com sofisticados instrumentos de navegação que permitem pousos e decolagens em qualquer condição de tempo.

4 - Gravador de voz em pane? Difícil de engolir. Ou o CENIPA recebeu ordem para não divulgar o conteúdo do áudio ou o gravador foi danificado  durante o pernoite no pátio do aeroporto Santos Dumont.

5 - A voz do piloto no diálogo com a torre de controle e divulgada por uma emissora de TV logo após o acidente mostrava muita tranquilidade da tripulação, apesar da chuva e da pouca visibilidade durante os procedimentos de aproximação.

6 - Há fortes indícios de duas explosões: uma na cabine ou nas turbinas, o que fez o avião despencar; a outra, onde estavam os passageiros (motivo de os corpos terem sido totalmente esmigalhados). É tão evidente que houve esta explosão que não se achou, sequer, um pedaço de crânio, para se comparar fichas odontológicas a qualquer arcada dentária. Somente com o exame de DNA foi possível identificar o que sobrou de cada corpo.

7 - Algumas considerações: 
  • Se os pedaços da aeronave e partes significativas de corpos são encontrados em uma área extensa, pode-se afirmar que a explosão aconteceu ainda em voo. Foi o caso do atentado em 1988 ao Boeing 747 da PAN AM sobre a cidade escocesa de Lockerbie.
  • Se os pedaços da aeronave e partes significativas de corpos são encontrados concentrados em uma área, significa que a explosão aconteceu após a queda e foi ocasionada basicamente pelo combustível no momento do impacto com o chão.

8 - Neste acidente com o Cessna 560 XL, o que chama a atenção é a evidente desintegração de toda a fuselagem e o despedaçamento completo de todos os corpos.A única forma de justificar um cenário como esse é um impacto frontal da aeronave com uma parede em pleno voo (o que não aconteceu) ou uma explosão ocasionada por um artefato explosivo durante o impacto com o chão.Vejam que o noticiário mostrou que, antes da aeronave bater no solo, ela tocou na quina da cobertura de um prédio.

9 - Possivelmente foi nesse momento que a turbina foi arrancada e arremessada como um míssil para dentro de um apartamento próximo. Com certeza essa colisão diminuiu ainda mais sua velocidade. Então, de forma nenhuma podemos justificar o fator velocidade como causa do esmigalhamento dos corpos e estilhaçamento de toda a fuselagem. No acidente da TAM em Congonhas foram encontrados centenas de corpos queimados ou carbonizados, mas praticamente inteiros.

10 - Há indícios fortes de que as explosões aconteceram de dentro para fora da aeronave. Uma evidência comprovada é a porta desse ter sido encontrada longe do centro de gravidade do acidente.

11 - Dizer que acima de 8 “G” os corpos se desintegram é verdade, mas o avião estava subindo e manobrando. Caiu com velocidade muito aquém da velocidade cruzeiro.

12 - Neste voo estaria também a candidata Marina Silva. Acabaria qualquer possibilidade de haver o 2º turno e de o PT não vencer as próximas eleições. O tiro saiu pela culatra!

13 - Esta aeronave não foi guarnecida durante o seu pernoite nas instalações do Aeroporto Santos Dumont no Rio de Janeiro. O sabotador teve tempo mais que necessário para o seu intento.

Aécio Neves e Marina Silva que se cuidem! Celso Daniel e Toninho do PT que o digam...


Fonte: Alerta Total

____________________
José Ori Dolvin Dantas, Coronel do Exército na reserva, é especialista em terrorismo e atentados terrorista.
Resumo dos principais cursos realizados:
  • Police Special Operations – SWAT- EUA;
  • Dignitary Protection – SWAT – EUA;
  • Chemical Agents Impact Munitions and Distraction Devices – SWAT – EUA;
  • Technical Intelligence – National Intelligence Academy – EUA;
  • Tolerância Zero – Universidade Metropolitana da Flórida – EUA;
  • Defense Planning and Resourse Management – National Defense University – EUA;
  • Avançado de Terrorismo e Contrainsurgência – National Defense University – EUA;
  • Understanding Terrorism and Terrorism Threat – University of Maryland – EUA;
  • International Human Rights Law: Prospects and Challenges – University of Duke – EUA;
  • Introduction to Human Behavioral Genetics – University of Minnesota – EUA:
  • Special Operations & Anti-terror Tactics – Israel;
  • Operaciones Tacticas Avanzadas (contraterrorismo) – Espanha;
  • Cours International de Criminologie – França;
  • Criminologia sob a ótica psicanalítica – Brasil;
  • Psicopedagogia (Especialização) – Como motivar a aprendizagem em instituições repressivas – Brasil;
  • Psicologia Comportamental (Mestrado) – Interpretação do suspeito pela linguagem do corpo – Brasil;
  • Logística de Transporte (Especialização) – Armazenamento, manuseio, transporte e distribuição de produtos perigosos – Brasil.

Pesquisas De Intenção De Voto Deixam Petistas Mais Otimistas


Pesquisas causam efeito Cinderela na campanha de Dilma


Aécio liga Marina a incerteza e diz que 'nova aventura não faria bem ao povo brasileiro'

Por Ricardo Chapola e Elizabeth Lopes

Em entrevista à rádio CBN, candidato tucano também tenta vincular adversária ao partido de Dilma e diz ser a 'mudança segura'

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, usou nesta quarta-feira, 3, o discurso do medo para atingir, numa tacada só, a presidente Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB), ambas adversárias na disputa presidencial. O tucano voltou a ligar Marina à ideia de incerteza e aproveitou para atingir a petista, ao insinuar que o governo Dilma também foi uma “aventura”.

“O Brasil paga pela inexperiência da atual presidente da República, que ainda não tinha administrado nada e assumiu o governo brasileiro. Qual o preço disso? Inflação saindo do controle, recessão técnica na economia, uma perda enorme na credibilidade do País”, afirmou Aécio durante entrevista concedida ontem à rádio CBN, em São Paulo. “Uma nova aventura não faria bem ao brasileiro.”

Aécio passou a se valer mais desse discurso depois de ter perdido o segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto. A pesquisa Ibope publicada ontem aponta o tucano com 15%, contra 34% da candidata do PSB e 37% de Dilma.

Aécio repetiu as críticas já feitas a Marina, atacando-a pela falta de clareza em suas propostas e pelas “contradições” contidas em seu discurso. “A candidatura Marina tem as suas virtudes, e eu as respeito. Mas é uma candidatura que traz um conjunto de contradições muito grande. Ela fez toda sua história política no PT. Mas a Marina que hoje defende a política econômica do PSDB é a Marina que lá atrás votou contra a Lei de Responsabilidade Fiscal”, afirmou Aécio, ao cobrar clareza da adversária. “Chegou um momento de ela dizer com clareza o que significaria o seu governo.”

Repetitivo. Depois de insistir na crítica que tem feito desde a perda da segunda colocação nas pesquisas, Aécio voltou a dizer que sua candidatura representa uma “mudança segura”. Ele ainda aproveitou para voltar a criticar indiretamente Marina, ao acusá-la da falta de quadros no partido para colocar em prática as propostas apregoadas por ela em seu programa de governo. “Tenho certeza de que a mudança segura, a mudança qualificada, a mudança de valores é representada pela nossa candidatura. Nossa candidatura tem um projeto com começo, meio e fim, com aquilo que é essencial. E com quadros para implementá-lo”, afirmou. “Temos uma seleção brasileira pronta para entrar em campo.”

Mais tarde, em Santos, no litoral paulista, Aécio ainda teve fôlego para reforçar as críticas contra Marina e Dilma disparadas por ele anteriormente na entrevista à rádio CBN. “Estou convicto de que Dilma vai perder. Vejo a Marina com um conjunto de boas intenções, mas não consigo ver ali as condições adequadas para que a mudança que a grande maioria dos brasileiros espera aconteça”, disse o tucano durante uma breve coletiva de imprensa feita no centro da cidade litorânea.

A declaração foi dada pouco antes do que seria o início de uma caminhada pelo centro da cidade, que não aconteceu por causa de um tumulto provocado por equipes dos programas de humor Pânico e CQC, da Rede Bandeirantes.



PT Protagoniza Vexames Em Diversos Colégios Eleitorais


A grande pergunta


REALIDADE: 'Desabafo de uma brasileira' se espalha nas redes sociais e atinge milhões de pessoas



Um desabafo da consultora de vendas Maria Aluska, publicado pela mesma no site Facebook, tornou-se um viral e, republicado por dezenas de mídias, atingiu milhões de pessoas. Apenas no perfil de Aluska, mais de 100 mil pessoas compartilharam o desabafo.

Na gravação, Aluska critica e faz provocações a Lula e Dilma, comentando a situação atual do país, a saúde pública, a carga tributária, entre outros.

Programa De Marina Plagia Decreto De FHC De 2002


Dialética da covardia

Por Olavo de Carvalho

Duas ou três concessõezinhas oferecidas pela candidata à economia liberal, que no fundo em nada diferem daquelas feitas pelo primeiro mandato do sr. Lula, pouco significam em comparação com o fato de que o partido de Marina pertence ao Foro de São Paulo e, como tal, tem compromissos estratégicos internacionais.

Toda decisão covarde, quer se expresse por ação ou omissão, deixa no fundo da alma uma vergonha que, quanto menos reconhecida e confessada, mais exige rituais histéricos de compensação. Posta vergonhosamente em fuga por um golpe militar que não disparou um só tiro, a esquerda brasileira exibe até hoje os sintomas residuais do vexame enterrado, mas jamais completamente esquecido: daí sua compulsão incurável de exagerar hiperbolicamente os sofrimentos padecidos e a força ameaçadora do adversário, pintado sempre como um dragão voraz mesmo quando obviamente não passa de um cãozinho doméstico.

Exemplo típico é o historiador comunista Nelson Werneck Sodré, do qual escrevi em 2008 (v.http://www.olavodecarvalho.org/semana/080414dc.html) :

“Descrevendo no seu livro A Fúria de Calibã os horrores apocalípticos da perseguição a intelectuais logo após o golpe de 1964, que ele não hesita em nivelar ao que sucedeu na Alemanha de Hitler, acaba se traindo ao relatar que, naquele mesmo período, publicou não sei quantos livros, teve não sei quantas críticas favoráveis, algumas entusiásticas, foi brindado com alguns prêmios literários e no fim ainda recebeu uma homenagem no Instituto Brasileiro de História Militar, em cerimônia realizada na presença... do presidente da República, marechal Castelo Branco. Jamais um historiador consentiu em personificar tão escandalosamente um exemplum in contrarium da sua descrição geral dos fatos.”

Mas, evidentemente, Werneck não foi o único. A repressão foi tão violenta, tão avassaladora, que o período do governo militar (1964-1985) acabou sendo, segundo registros da Câmara Brasileira do Livro, o de maior prosperidade da indústria editorial esquerdista no país.

Paralelamente, jornalistas de esquerda dominavam as redações dos maiores jornais e eles próprios publicavam semanários “nanicos” nos quais falavam o diabo da “grande mídia burguesa”.

Intelectuais e artistas de esquerda imperavam também sobre as universidades e a indústria de espetáculos – tudo isso porque, coitadinhos, tinham sido banidos de toda atividade pública, como os dissidentes soviéticos ou cubanos. Nunca no mundo os perseguidos se refugiaram em catacumbas tão altas e vistosas.

Erik von Kuenhelt-Leddihn já ensinava que ninguém jamais entenderá a mentalidade esquerdista se não estudar muito bem o mecanismo do fingimento histérico.

Mas ninguém cairia vítima de uma neurose se dela não extraísse alguma vantagem secundária, algum lucro que pode ir muito além do mero reconforto psicológico postiço.

Exagerar o tamanho e a periculosidade do adversário dissemina entre os militantes um estado de alerta, instila neles um reflexo de autodefesa grupal que os predispõe a odiar o adversário mesmo e sobretudo quando nada sabem dele. Que partido revolucionário não precisa disso?

Quando uma compulsão neurótica se soma a um proveito objetivo, ficar cada vez mais neurótico se torna um modo de vida, uma “forma mentis” integral que acaba por absorver a personalidade inteira. Que mais pode desejar um revolucionário do que um uma engenharia cênica na qual fugir da realidade se transmuta num meio de agir sobre ela com alguma eficácia?

Dessa incongruência nasce uma segunda, também característica da mente revolucionária, que é o hábito de cantar vitória ao mesmo tempo que se imagina o adversário cada vez mais forte e indestrutível, principalmente quando este agoniza e esperneia no ar entre gemidos de impotência.

É assim que, no seu blog da "Carta Maior", o indefectível dr. Emir Sader, mais conhecido nos círculos reacionários como Marquês de Sader, explica a adesão dos liberais Eduardo Gianetti da Fonseca e André Lara Rezende à candidatura Marina Silva como um truque maquiavélico da direita, prenúncio da restauração conservadora, quando ela é obviamente o oposto: a autodissolução de um corpo debilitado num corpo mais forte que, ao absorvê-lo, o extingue.

Duas ou três concessõezinhas oferecidas pela candidata à economia liberal, que no fundo em nada diferem daquelas feitas pelo primeiro mandato do sr. Lula, pouco significam em comparação com o fato de que o partido de Marina pertence ao Foro de São Paulo e, como tal, tem compromissos estratégicos internacionais que, no presente momento, seus aliados liberais não compreendem e nem sequer vislumbram, e que com toda a certeza prevalecerão, a longo prazo, sobre qualquer arranjo oportunista de campanha eleitoral.

Nada mais característico da debilidade direitista no Brasil, aliás, do que a pseudo-esperteza de aderir ao que não se pode vencer, receita de Maquiavel que, praticada pelo próprio inventor, só o levou de derrota em derrota até a completa humilhação final de ter de viver, na velhice, de um empreguinho chinfrim arrumado, num gesto de caridade, por um de seus velhos inimigos.

Maquiavel é o guru dos derrotados, sempre um derrotado ele próprio. Talvez por isso exerça tanta atração sobre quem não tem a mínima vocação para a vitória nem, por isso mesmo, como diria o sr. Lula, “nenhuma perspectiva de poder”.

Interpretando a debilidade como sinal de força, o Marquês de Sader, por seu lado, foge da realidade ao mesmo tempo que age sobre a mente da sua platéia com realismo exemplar: instigando nos fortes o medo do fraco para impeli-los a torná-lo mais fraco ainda.

Entre a dialética revolucionária e as astúcias teatrais do fingidor histérico, a semelhança não é jamais mera coincidência.

(Publicado no Diário do Comércio.)